Loading
  • Filosofando com as panelas

    Cozinhar muda o mundo (ou como se alimentar com comida de verdade)

    Afinal, o que é comida de verdade? Contar calorias é uma forma de alimentação saudável? O que é de fato um alimento funcional? Como nutrir o organismo gastando pouco?

    A resposta para essas perguntas é muito mais simples do que a gente pode imaginar: cozinhe em casa! 

    As pessoas se perguntam como combater o aquecimento global, a degradação ambiental e as injustiças sociais. Thomas Morus, o maior humanista do Renascimento,  foi assertivo ao dizer que “qualquer mudança começa pela comida. Vamos comer alimentos locais, orgânicos, sazonais e deliciosos. Vamos lidar com os alimentos com as nossas próprias mãos, e não deixar a sua produção apenas nas mãos das corporações.”

    Alimentação saudável e comida de verdade é nada menos que tomar consciência do que se come. Alimentação funcional é aquela que realmente funciona para cada pessoa, que cabe na rotina, que cabe no seu bolso. Não é à toa que a palavra alimentar vem do Latim “alere”, que significa “fazer crescer”, “nutrir”, “curar”, “tratar”. 

    A lógica já começa na feira ou no supermercado: quando um agricultor produz um alimento fora de sua safra natural, ele lança mão de mais adubos químicos e defensivos agrícolas para melhorar a produção. Isso compromete as águas, os solos, o clima e sua saúde.

    Quer um exemplo? Pense no morango. Fora da época de sua safra – que se dá no período do inverno,  seu preço é triplicado e o gosto definitivamente não é o mesmo, pois o uso de tais insumos  alteram as características sensoriais e nutricionais da fruta.

    Por isso mesmo saber diferenciar comida de verdade de alimentos ultraprocessados é o princípio de tudo!

    A dica para começar a se alimentar de verdade é fazer amizade com o dono do hortifrutigranjeiro, passear pelas feirinhas, procurar saber a origem do que está comprando.

    Familiarizar com a  época das frutas, verduras e legumes também é uma verdadeira mão na roda, pois além de economizar na hora das compras, é um passo para começar a planejar receitas a partir de determinado alimento. Se você sabe que provavelmente irá encontrar berinjelas no supermercado, porque não fazer uma saborosa caponata vegana, que é um antepasto leve e nutritivo?

    Para facilitar a vida e começar a pensar de forma mais simples e prática, cole na geladeira uma listinha com o calendário dos vegetais e dê uma olhada  nela todas as vezes que sair de casa para o mercado. Com o tempo, vai ficar fácil memorizar quais são os alimentos da época.

    calendarioagricola

    Fevereiro, por exemplo, é o mês do quiabo, banana e cenoura. Usar essa simples informação ajuda seu bolso, contribui com o meio ambiente e torna sua comida ainda mais saudável e apetitosa.

    Além disso, usar as frutas e verduras da estação te desafia a buscar novas receitas e a fazer combinações surpreendentes e genuínas.

    Segundo Michel Pollan, “cozinhar é um ato político” pelo simples fato de que, quando você interage com os alimentos, você entende o que está comendo, valoriza o que tem à mesa. Pensar que inúmeras pessoas morrem de fome no mundo também nos faz rever nossa ligação com a comida.

    Vivemos num mundo onde a comida congelada, junk food e pratos prontos tomam conta da nossa alimentação. A produção em massa de comidas multiprocessadas tomou a vez da beleza e do prazer de preparar refeições em companhia de alguém querido. Os caldos prontos, lotados de sódio e conservantes, tomaram lugar do prazer de sentir o aroma do cozido que fica em fogo brando vindo da panela. Perdemos controle das nossas origens e da origem do que colocamos à mesa. A maior parte das pessoas não sabe sequer dizer como a comida é semeada, como ela chega às gôndolas do supermercado, quem está por trás de tudo isso.

    https://youtu.be/CmgdHjhQgR8

    https://www.youtube.com/watch?v=kKeNn1gKEk4

     

    Para combater esse pensamento, é possível encontrar sites como o  Feiras Orgânicas, que dispõe uma lista acessível dos locais onde você pode encontrar uma feirinha daquelas de lavar a alma a poucas quadras de casa. Tudo cultivado pelo senhorzinho que planta cada ingrediente com o maior carinho do mundo.

    Quando você compra de pequenos produtores, fomenta o comércio local e gasta menos tempo se deslocando e estressando no trânsito. De quebra seu dinheiro fica no seu bairro ou em torno dele, desenvolvendo com isso a comunidade do seu entorno.

    Aqui  você encontra dicas infalíveis para economizar na feira.

     

    shop local

    “Quando você compra de produtores locais, você não ajuda o dono de uma empresa a comprar sua terceira casa de férias. Você estará ajudando uma menininha a tomar aulas de dança, um menininho a fazer esportes, um pai e uma mãe e colocar comida na mesa. Obrigada por fazer compras na vizinhança”. 

    (ph by http://purcaholic.tumblr.com)

    Tenha sempre em mente que nossa saúde está diretamente ligada à comida que mantemos na nossa cozinha, e que o modo da sua produção pode influenciar o aquecimento global e até os índices de nutrição e pobreza em regiões mais vulneráveis.

    E a falta de tempo para cozinhar não é desculpa, pois aqui no Cebola Na Manteiga você encontra receitinhas para executar com menos de meia hora.

    Que tal começar hoje mesmo?

     

    NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE!
    Receba em primeira mão o conteúdo do Cebola 🙂
    Inscrever!
  • You may also like

    NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE!
    Receba em primeira mão o conteúdo do Cebola :)
    Inscrever!
    Me inscrever :)

    Pin It on Pinterest

    Share This